Bloco K Sped

5 erros para evitar na hora da entrega do Bloco K Sped

Muitas empresas da área ainda têm dúvidas sobre a entrega do Bloco K Sped. O serviço da promoção de saúde também passa pela necessidade de uma gestão tributária eficiente.

É por meio de uma empresa organizada e com métodos padronizados que os produtos e serviços são entregues com segurança – na hora e da forma corretas -, para que nenhum empecilho fiscal ou tributário possa comprometer o todo.

Mas, para isso, é preciso passar pelos trâmites burocráticos com exatidão. Queremos dizer que, para promover a saúde, também é necessário criar uma boa gestão tributária.

Antes de ressaltar os erros que devem ser evitados no Bloco K Sped, neste post, vamos lembrar o que é o conceito e qual sua importância. Essa conscientização ajuda a minimizar possíveis erros na hora do envio. Leia mais, a seguir!

O que é o Bloco K Sped?

O Bloco K é uma versão digital do Livro de Controle de Produção e Estoque. Ou seja, uma parte importante que constitui o eBook de Registro de Controle da Produção e do Estoque.

Todas as organizações devem apresentar os relatórios de estoque e produção no SPED Fiscal, que é a denominação do processo de escrituração digital da Receita Federal. Esse é o canal por onde os órgãos fazendários estaduais recebem informações dos contribuintes. Estas são necessárias para a apuração tanto do Imposto sobre Circulação de Mercadoria (ICMS) quanto do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI).

É importante ressaltar, novamente, que todas as organizações necessitam apresentar os relatórios. Então, a resposta é sim: sua empresa precisa fazer esse registro. Mas diante da obrigatoriedade e importância da entrega do Bloco K Sped, também há a necessidade de alguns esclarecimentos para essa aplicação.

Elaboramos este conteúdo porque muitas dúvidas ainda surgem acerca da necessidade e do formato do registro. É sobre erros que devem ser evitados nessa hora que falaremos!

5 erros de preenchimento que devem ser evitados na entrega do Bloco K Sped

1 – Códigos e descrições

Itens com descrições diferentes do código e/ou vice-versa: um problema recorrente e mais comum do que se pode imaginar. Essa situação é passível de questionamentos por conta do Fisco, além de multas e problemas no estoque – porque as informações não coincidirão com as entradas e saídas.

É bom também deixar claro que o recebimento é um dos pontos de impacto para a análise do estoque. Quando há incoerência na conversão das unidade de medida, a consequência está no cálculo que não fecha com as informações do Bloco K Sped.

2 – Sequência dos documentos

Um dos erros mais frequentes na entrega do SPED Fiscal é na sequência da NF-e. Essa falha se agrava ao considerar as notas que foram canceladas.

Porém, hoje em dia, a verificação das notas de forma manual e até individual é uma tarefa praticamente inviável – além de ser um serviço altamente improdutivo. Aqui, é interessante considerar a utilização de um software que faça a emissão das notas fiscais eletrônicas sem erros de parametrização.

Essa decisão é eficiente, porque evita problemas como a sequência incorreta das notas e ainda garante que esse tempo seja usado para executar outras atividades.

3 – Preenchimento do valor

Pode não haver dúvidas na maneira como preencher o valor total do documento fiscal, mas não é raro que esse número seja entregue de forma errada. A maior causa das incoerências entre valores declarados nas NF-e e no SPED Fiscal está na desatenção de quem faz o registro. Erros de cálculo ou digitação são os mais comuns nesse ponto.

A atenção total e o hábito da conferência podem evitar que isso custe caro demais. E a sua equipe de colaboradores precisa saber disso!

4 – Informação do NCM e das alíquotas

As alterações legais que mexem nos valores das alíquotas da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) são um dos motivos pelos erros na transmissão do SPED Fiscal. A falta de atualização dos dados acaba gerando esse erro acidental – que pode ser visto pelo Fisco como uma tentativa de evasão.

Além de redobrar a atenção, um software que faça essa conversão automaticamente é uma boa saída para evitar um equívoco que pode ser mal interpretado.

5 – Registro dos ajuste de estoque

Esse tipo de registro deve ter um lançamento fiscal específico. A alteração a partir do Bloco K Sped não permite mais que o registro dos ajustes de estoque sejam feitos diretamente na contabilidade ou por meio manual.

Análise criteriosa

Vale lembrar que o principal intuito do Bloco K Sped é identificar operações de sonegação que permaneciam escondidas no estoque da empresa. Com ele, os negócios não podem mais justificar a venda de uma mercadoria sem nota fiscal, por exemplo.

Permite, ainda, uma análise mais criteriosa para o Fisco – que observa o que foi informado a partir de agrupamento de informações por segmento.

Mais segurança na entrega do Bloco K Sped

Nem sempre a conferência é a melhor garantia. Muitas vezes, contar com um bom software é o caminho mais prático e eficiente para se alcançar o resultado pretendido. No caso do preenchimento do SPED Fiscal, é importante compreender que a atividade em si não é um problema, mas sim a ocorrência de riscos e não conformidades na sua empresa.

Para poupar tempo e dores de cabeça, pode ser interessante confiar esse trabalho a uma equipe especializada em soluções tecnológicas para a área fiscal.

Esperamos que este artigo tenha sido útil e esclarecedor para você no que se refere ao momento da entrega do Bloco K Sped. Agora, continue navegando conosco para encontrar outras soluções que tornem a rotina da sua empresa muito mais leve e eficiente.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe um comentário