desafios da indústria farmacêutica

Principais desafios da Indústria Farmacêutica no Brasil e como a TI pode ajudar – Parte 2

Neste artigo, daremos continuidade aos principais desafios da indústria farmacêutica brasileira, com a proposta de apresentar as principais soluções oferecidas pela Tecnologia da Informação.

Se você já leu nosso post “Principais desafios da Indústria Farmacêutica no Brasil e como a TI pode ajudar – Parte 1”, acompanhe as novas informações. Mas se ainda não leu o artigo, não se preocupe, vamos facilitar e relacionar abaixo alguns pontos que tratamos no primeiro texto. Mas vale a leitura completa!

Highlights do post anterior:

  • O simples fato da indústria farmacêutica lidar com a saúde humana já é um desafio por si só e é imprescindível garantir a qualidade.
  • Aspectos como a necessidade de pesquisa, desenvolvimento, registro de produtos, produção em larga escala, maior eficiência, qualidade e menor custo tornam o segmento ainda mais desafiador.
  • Para manter a competitividade, as empresas têm que realizar investimentos consideráveis em processos produtivos e gestão.

Seguindo as premissas apresentadas no artigo, vamos aos desafios e soluções propostas pela Tecnologia da Informação!

3 principais desafios da Indústria Farmacêutica e como a TI auxilia

1 – Definição de processos

A organização de processos é sempre um grande desafio nas empresas, por refletir suas ações e também ser responsável pelos resultados. Com a automatização de processos, por exemplo, é possível gerar mais ganhos e lucros, além de aumentar a produtividade e motivação de toda a equipe.

Há casos em que as empresas reduziram custos e tempo em mão de obra com o simples fato de migrar tudo que antes era feito em papel para o meio eletrônico. Essa mudança permite melhor organização, tornando os processos mais simples e claros.

Soluções automatizadas cada vez mais despertam o interesse das empresas que buscam a melhoria contínua em seus processos, pois facilita a comunicação e a clareza das informações em diversos aspectos, passando por todas as áreas do negócio.

Em se tratando de Indústria Farmacêutica, em que a matéria-prima, os chamados “princípios ativos”, são de alto valor agregado, qualquer irregularidade ou inconsistência nos processos pode se tornar um grande risco.

Além de controlar o ciclo produtivo, as soluções são responsáveis pela rastreabilidade dos produtos, que reflete diretamente na cadeia logística, pois, para garantir a qualidade, todo o transporte de medicamentos, desde a saída da indústria ou do laboratório até o destino final, é acompanhado. Processos de compras, armazenagem, distribuição e produção exigem cuidados especiais e atenção redobrada.  

Para isso, a Tecnologia da Informação a cada dia se atualiza e traz novas ferramentas de gestão. Essas soluções já se tornaram imprescindíveis às empresas que lidam diretamente com princípios ativos, pois, com processos bem definidos e estruturados, facilitam o controle e a previsibilidade, minimizam os erros e potencializam a chance de sucesso das empresas do setor.

A informatização dos processos promove um maior dinamismo aos setores da empresa e mais assertividade nas tomadas de decisão. No caso da área comercial, há softwares para automatizar o controle de remuneração variável e a melhoria na gestão dos pedidos. Já no setor industrial, envolve desde a gestão de documentos até a rastreabilidade de lote e o controle de qualidade dos produtos.

Os sistemas de gestão possuem informações mais analíticas do negócio e, por isso, contribuem com a eficiência na produção e minimizam/evitam falhas nas operações.

2 – Cumprimento das regras preestabelecidas pelos órgãos

O setor está em constante crescimento e é altamente regulamentado. E para dar conta da demanda e da precisão de todas as especificações técnicas, a tecnologia torna-se indispensável. Apontando cada vez mais inovações, contribui com uma maior assertividade em atenção às normas, e também na pesquisa e no desenvolvimento de medicamentos, além de oferecer informações de todo o processo de fabricação dos produtos farmacêuticos, chegando à cadeia de fornecimento, vendas, finanças etc.

Por meio de softwares e sistemas desenvolvidos de maneira personalizada, é possível verificar os requisitos e conformidades, gerenciar a matéria-prima utilizada para a fabricação de produtos, desde o orçamento e a ordem de compra até o recebimento das mercadorias, o controle da validade da matéria-prima e dos lotes de produtos produzidos.

3 – Racionalização de custos

Em um setor que exige muita qualidade em todos os processos, para manter as exigências do nível é necessário cada vez mais investimentos expressivos, pois a inovação e a atualização têm que se fazer presentes.

Conhecimentos precisam ser aprimorados, adaptação de tecnologias, novas apostas nas que vão sendo desenvolvidas, além de ficar atento a todas as novas exigências e normas técnicas estabelecidas. Lembrando que há muitos concorrentes para se manter à frente, todas as decisões de investimentos em recursos tecnológicos são imprescindíveis para a garantia de uma melhoria contínua dos processos e da qualidade que os produtos exigem.

Investir em soluções e implementar recursos que permitem automatizar os controles podem garantir um maior custo-benefício, bem como um maior ROI (retorno sobre investimento). No restante, o setor não faz parte dos que necessitam de altos investimentos. Em sua maior parte, os investimentos estão em torno de sistemas/softwares e melhorias que visam auxiliar na administração dos processos, e também em capacitações para colaboradores e envolvidos nesses processos de competência da área.

Gostou das nossas dicas de soluções propostas pela TI tendo em vista os mais pautados desafios na indústria farmacêutica brasileira? Não deixe de conferir nossos próximos artigos!
VS_CTA_eBook_GuiaGestaoOPME

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe um comentário