Lições que a crise pode ensinar para uma boa gestão das empresas de OPME’s

A palavra crise tem tomado conta das vidas dos brasileiros nos últimos anos: crise econômica, política, institucional, crise disto, crise daquilo… “Ela” está nos noticiários, nos jornais, nas conversas de trabalho, nos churrascos de domingo e em qualquer lugar que se vá hoje em dia. Todos acabam sendo afetados em um momento ou outro.

Porém, muitos se esquecem que crises são uma ótima oportunidade para que se façam mudanças e otimizações necessárias. Como muitos dizem: “não se pode desperdiçar uma boa crise”. É na “dor” e na “necessidade” que muitos problemas são resolvidos e as empresas são forçadas a buscar uma gestão eficiente.

Abaixo cito alguns itens que que podem fazer toda a diferença para a sobrevivência das empresas de OPME´s.

Otimizar a gestão das consignações

O estoque em poder de terceiros, quando mal administrado, é um dos grandes vilões da saúde financeira das empresas de OPME´s. São materiais caríssimos que muitas vezes estão mal dimensionados e acabam ficando estocados em hospitais e clinicas desnecessariamente, sugando o capital de giro das empresas. Uma equipe muito bem treinada, obedecendo um fluxo de trabalho e um sistema de gestão inteligente que consiga apontar a gestão de demandas de cada um dos hospitais, com apontamentos dos gastos cirúrgicos on-line, irá fazer as empresas de OPME´s resgatar milhões em materiais para o seu caixa, com segurança e inteligência, sem prejudicar as cirurgias nos hospitais.

Controle Financeiro

O bom e simples controle financeiro é um dos propulsores da empresa. A gestão do caixa é algo muitas vezes menosprezada, quando deveria ser a guia da empresa. Trabalhar orçamento base zero, o controle de custos detalhado, pode fazer milagres na sua empresa. Vocês irão se impressionar com a quantidade de dinheiro que é desperdiçada. Comecem a utilizar um critério simples de colocar dinheiro somente em atividades onde se pode gerar mais dinheiro, e verão em curto espaço de tempo a diferença que faz.

Sistema de gestão específico do setor

O fato de utilizar um sistema específico para o setor irá gerar uma economia enorme do ponto de vista financeiro, assim como de tempo e aquisição de conhecimento. Os sistemas específicos já vêm com grande parte das necessidades da RDC-16 atendidas, e as empresas normalmente garantem todas as alterações nas normas da Anvisa. Isto fará sua empresa poupar cada alteração que terá que fazer futuramente, pois, além do custo financeiro, há o custo de aprendizado de conseguir passar para um consultor “genérico” o que é uma rastreabilidade, o que é um laudo, entre outras coisas, para que ele consiga traduzir isto para os processos da empresa.

Gestão tributária eficiente

Trata-se de um assunto bastante complexo, pois as empresas de OPME´s trabalham muito com importação de produtos, com consignação e outras diversas atividades de complexidade tributária. Em um momento de crise, com os governos estão ávidos por dinheiro, o risco de fiscalização aumenta. Infelizmente, muitas empresas só dão atenção a esse assunto após serem notificadas e multadas, deixando em segundo plano o estudo e a verificação dessa parte tão importante da gestão, colocando na mão de pessoas pouco qualificadas e sem experiência.

Uma ótima equipe na assessoria contábil e de sistemas, com experiência na área, pode fazer toda a diferença e trazer segurança as empresas de OPME’s, minimizando os possíveis erros tributários.

Gestão sanitária

Se as coisas já estão difíceis, não vacilem com a gestão da segurança sanitária da sua empresa! Acabou o tempo em que as fiscalizações, alvarás e licenciamentos da Anvisa eram meramente pro-forma. Hoje, se a empresa brincar e não cumprir efetivamente a RDC-16, ela pode ser lacrada. A Anvisa não aceita mais “papel” ou planilha eletrônica, e é necessário ter efetivamente a automatização dos controles (laudos, rastreabilidade, processos, etc)

Tenho convicção que estas questões podem ajudar as empresas de OPME´s. Para finalizar, cito Winston Churchill: “Um pessimista vê uma dificuldade em cada oportunidade; um otimista vê uma oportunidade em cada dificuldade”.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe um comentário