caixas com identificação RFID

Vantagens e desvantagens do RFID: vale a pena investir?

Inventada na Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial para diferenciar aviões ingleses das esquadrilhas alemãs, a identificação por frequência de rádio — ou RFID, que é a sigla em inglês para Radio-Frequency Identification — ganhou o mundo corporativo nas últimas décadas, aprimorando principalmente estoque, venda, pedidos e reposição de uma infinidade de produtos, entre eles equipamentos e insumos da área de saúde.

Mas, afinal, quais são as vantagens e desvantagens do RFID? Vale a pena investir? É o que vamos responder neste artigo, explicando como a tecnologia funciona, destacando as suas principais aplicações e apresentando uma lista de prós e contras, sobretudo no controle de estoque de produtos, insumos e equipamentos. 

O que são e como funcionam o sistema RFID

Assim como os radares ingleses da Segunda Guerra Mundial mostravam a localização exata dos aviões da Royal Air Force (RAF), o sistema de radiofrequência localiza e identifica, em determinada área, qualquer objeto que esteja com uma etiqueta RFID.

As etiquetas são uma das partes fundamentais do sistema RFID. Outro componente essencial é a antena de radiofrequência. O processo é simples. 

A antena espalha sinais em frequência de rádio por uma determinada área ou ambiente, enquanto as etiquetas interagem com essa varredura eletromagnética transmitindo informações sobre os produtos por meio de transceptores, pequenos artefatos de comunicação instalados nas etiquetas RFID.

Conecta-se à antena e ao transceptor um software capaz de traduzir as informações trocadas entre as duas pontas e pronto: eis o funcionamento do sistema RFID explicado de forma simplificada e concisa. 

Com a evolução tecnológica do sistema RFID, os transceptores estão cada vez mais compactos e poderosos, reduzindo o tamanho das etiquetas e aumentando a quantidade de dados possíveis de serem rastreados pela antena de radiofrequência.

Esse rastreamento ocorre mesmo quando o produto ou equipamento etiquetado com tecnologia RFID estão empacotados em papel ou depositados dentro de caixas de papelão. 

Com isso, as aplicações abrangem uma ampla gama de possibilidades, seja para localizar o objeto em lugares inacessíveis ou em movimento, seja para prevenir roubos ou falsificação de conteúdos, seja ainda para detectar anomalias e enviar sinais de alarme em caso de mau uso.

Vantagens e desvantagens do RFID: vale a pena investir?

Como você está prestes a descobrir, há muitas vantagens no sistema RFID, principalmente quando comparado com o modelo tradicional de leitura de código de barras. 

A seguir vamos pontuar algumas vantagens do RIFD. E depois alguns pontos contrários, sobretudo em relação ao custo quando se compara com o sistema de código de barras.

Vantagens do RFID

  • Não há necessidade de leitura visual para se realizar a identificação do produto;
  • A etiqueta é lida mesmo que esteja dentro do próprio material inspecionado, dentro da caixa ou da embalagem;
  • A etiqueta RFID tem capacidade de gravar e armazenar dados em quantidade muito maior do que uma etiqueta de código de barras;
  • A leitura pode ser feita com o material em qualquer posição em relação, pois o campo de leitura é circular;
  • Do mesmo modo, o raio de captura e identificação do produto ou material também é maior;
  • Leitura pode ser feita com o produto em movimento ou com várias etiquetas ao mesmo tempo;
  • Não é preciso localizar a etiqueta para fazer a leitura do produto ou material;
  • Permite a leitura de produtos em locais de difícil acesso, sejam eles em lugares altos, apertados, escuros ou frios, por exemplo;
  • Do mesmo modo, facilita a leitura do produto em ambientes hostis, insalubres ou com protocolos sanitários altamente restritivos;
  • Etiqueta tem vida útil maior e pode ser reutilizada;
  • Quando empregada em uniformes, por exemplo,  pode servir para localizar colaboradores, além de veículos, ferramentas, animais, etc;
  • Pode ter vida útil estendida ao ser encapsulado em materiais resistentes que não interfiram no sinal de radiofrequência, permitindo assim sua aplicação em produtos químicos, tintas ou peças que sofram com umidade.

Desvantagens do RFID

Quando comparada com o sistema de código de barras, o RFID tem como principal desvantagem seu custo de implantação. É o que vamos ver a seguir:

  • Na ponta do lápis, a infraestrutura necessária para implantar o sistema RFID é, não se pode negar, custosa, uma vez que envolve antenas, etiquetas, leitoras de sinal, softwares para tratar os dados capturados, aplicativos, sistema de comunicação, etc;
  • O custo da etiqueta RFID é maior, obviamente, do que a etiqueta de código de barras;
  •  Alguns materiais interferem no sinal da antena de radiofrequência, como metais. Para resolver isso se for o caso do seu ambiente de negócios, é necessário encapsular o chip RFID com material que aumenta o poder de leitura da etiqueta;
  • Para grandes distâncias entre antena e transceptores (ou chips), pode ser necessário o uso de equipamentos que trabalham em frequência mais alta, como HF ou UHF, o que também aumenta o custo;
  • Para algumas aplicações, é necessário que informações também sejam impressas na etiqueta, uma vez que há produtos que precisam ter dados, como preço por exemplo, visíveis a olho nu; 
  • No projeto de implantação do sistema RFID, é necessário considerar possíveis e eventuais obstáculos para a transmissão via rádio frequência, sendo muitas vezes necessário que se faça encapsulamentos especiais para o transceptor ou chip.

Gostou de conhecer as vantagens e desvantagens do RFID? Quer saber mais sobre soluções da VISTO que fazem uso dessa tecnologia? Entre em contato com a gente aqui.

Infográfico passo a passo para montar uma matriz de risco

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe um comentário